Get Adobe Flash player

Leia a Obra

Leia a Obra

Arquivos

OCLOCRACIA

Escrito em setembro de 2010.

Em duas ocasiões recentes, Lula declarou que “é preciso extirpar o DEM da política brasileira” e, logo depois, que …”vamos derrotar alguns jornais e revistas que se comportam como se fossem partidos políticos, mas não têm coragem de assumir”. Ou seja, Lula quer muito mais. Quer eliminar a oposição e amordaçar a imprensa.

A declaração de Lula coincide com tudo que os ditadores que já passaram pelo mundo disseram: exterminar o que for oposição e, se possível, estabelecer o regime do partido único. E o PT seria esse partido.

O fenômeno “Lula” tem sido explicado de muitas maneiras, mas ainda falta examiná-lo pelo lado oposto aos resultados surpreendentes, até para o próprio Lula, provavelmente.

Aprendi com Serge Tchakhotine, em seu “A Mistificação das Massas pela Propaganda Política”, traduzido por Miguel Arraes – Ed. Argumento, 2003; que em cada 100 seres humanos, apenas 10 conseguem lutar contra as técnicas de engodo e manipulação. No Brasil – há algum tempo – temos governo demais e propaganda demais.

Vamos refrescar a memória.

1) O anúncio do pré-sal foi montado como um palanque para a candidata Dilma, e o projeto de regulação tem uma sucessão de erros, e o projeto está na geladeira. Mas, o marketing oficial fez acreditar que o petróleo já estava nos barris para ser consumido. Houve até briga pelo dinheirão ainda incerto e ainda futurista.

2) Quando Lula ficou três dias ao lado da Dilma, em cima de um palanque, com dinheiro público, alegando fiscalizar uma obra às margens do São Francisco; a propaganda oficial disse que foi um ato administrativo.

No entanto, a transposição do Rio São Francisco, na verdade, uma integração de bacias, deve ser discutida também por outros motivos: a) teve licença ambiental condicionada a exigências até agora não cumpridas; b) o velho Chico sofre com assoreamento, esgoto sanitário de inúmeras cidades ribeirinhas e; c) destruição da mata ciliar, entre outras falhas do governo; Nada disso, claro, foi mencionado pelo marketing do governo. Nem pela mídia.

3) o governo federal atrasou mais de uma parcela do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste e paralisou as obras da Ferrovia Transnordestina. Nesse caso, os arautos da propaganda do governo silenciaram.

4) o governo mantém uma política de juros altos, com as maiores taxas do planeta, combinadas com a maior carga tributária do mundo em desenvolvimento. Mas, esse fato não faz parte da propaganda governamental.

5) o governo engana o povo dizendo que iria construir 1 milhão de casas com o programa “Minha casa, minha vida”, com o projeto sem sair do papel. Mas, o marketing jura, com o olho rútilo, que as casas já estão prontas.

6) O governo Lula não avançou em relação à questão da qualidade educacional da rede pública; e mais, contingenciou recursos, através da DRU, não cumpriu o valor mínimo destinado ao Fundeb e; em sete anos, nunca aplicou mais do que (5,0%) cinco por cento da receita federal em educação; e nunca cumpriu a obrigação constitucional de oferecer educação básica gratuita e de qualidade para toda a população. A propaganda chapa branca afirma que tudo está uma maravilha nas escolas.

7) o governo federal não cumpre a legislação do SUS, não regulamenta, não fiscaliza, não investe na construção de unidades públicas de alta complexidade nem na saúde preventiva da população, descumprindo os princípios e o processo de humanização do SUS, beneficiando ricos empresários, e alimentando o sofrimento da maioria; Mas, a propaganda oficial diz que o governo vai construir 6 mil UPA’s para todos. Você acredita?

8) O TCU identificou irregularidades em 41 obras do governo federal, sendo 30 do PAC. Mais: 14 dessas obras são de responsabilidade de uma única empresa, a Delta Construtora (com denúncias de não terem sido executadas ou de terem sido pagas duas vezes). Cortina de silêncio por parte do governo e da imprensa.

9) o Bolsa Família é um programa que distribui renda para quem precisa e tem o direito de receber. Mas um dos seus méritos iniciais, quando nasceu como Bolsa Escola (no governo do PSDB) era não ser assistencialista.

O Bolsa Família transformou-se em gigantesco mecanismo eleitoreiro. Com o apoio do marketing, o povão acredita em transferência de renda para tirar as pessoas da pobreza.

Na esteira de que “a economia vai bem”, os marqueteiros apontaram para as massas que eles pertencem “a nova classe média”. Um dos truques surge no mantra de que “o povo está feliz, a economia vai bem, as instituições democráticas mostram solidez”. E a patuléia, desinformada e carente, acredita.

Com muitos sofismas, engodos, e misturando corrupção, tráfico de influência, suborno, nepotismo e muita propaganda política, o PT lulista – aliado às forças mais atrasadas da história (Sarney, Collor, Renan, Jader, Temer) – posa de salvador da pátria e, se não houver nada que lhe impeça, tem asfaltada a estrada para um projeto de “mexicanização”, que se avizinha, caracterizado pelo “Estado forte, partido único e censura à imprensa”.

Tudo o que o Brasil não precisa à esta altura do campeonato: uma Oclocracia!

Uma nova forma de ditadura, legitimada pelo voto do povão desinformado e conformado.

Deixo com o caro leitor a missão de escrever o final dessa história. Dia 03 de outubro, é só você e a urna.

Blog da Opnião Política